Causas

A articulação do joelho é uma estrutura complexa e, portanto, lesada muito facilmente. Ela suporta quase o peso corporal inteiro, sendo a articulação mais exigida do corpo. A estabilidade e a mobilidade são conferidas por um ligamento interno e um externo, bem como por um ligamento cruzado anterior e um posterior. Dois discos cartilaginosos, os meniscos, têm a função de amortecer os impactos. Geralmente o ligamento cruzado anterior é rompido durante a prática de esporte, quando há uma hiperextensão do joelho ou uma rotação excessiva com a perna fixada. A ruptura do ligamento cruzado posterior é causada com frequência por um impacto direto e frontal contra a perna ou uma hiperextensão involuntária da articulação do joelho.

Sintomas

Na ruptura do ligamento cruzado, a articulação do joelho lesado está extremamente inchada, dolorida e não pode ser totalmente estendida ou flexionada. Após a diminuição dos sintomas agudos, é possível que permaneça uma instabilidade mais ou menos grave, que leva a um "falseio" da articulação do joelho durante certos movimentos. Estes podem ser movimentos cotidianos como subir escadas ou os sintomas podem estar limitados à atividade física extenuante durante o esporte. Com o tempo, a instabilidade da articulação do joelho pode causar danos aos meniscos e à cartilagem, e até mesmo um desgaste prematuro da articulação.

Diagnóstico

A ruptura do ligamento cruzado pode ser diagnosticada externamente pelo médico com base nas queixas relacionadas ao joelho. Vários testes podem indicar se a marcha está insegura (o que caracteriza uma ruptura do ligamento cruzado), se as articulações falseiam e se o joelho está instável. O chamado teste da gaveta (sinal de gaveta) pode ser usado para determinar o ligamento cruzado que foi rompido: se for possível deslocar a tíbia para trás em relação ao osso da coxa (= sinal de gaveta posterior), o ligamento cruzado posterior está frequentemente rompido; se, por outro lado, a tíbia puder ser deslocada significativamente para a frente (= sinal de gaveta anterior), o ligamento cruzado anterior pode estar rompido.

O exame de raios X é feito primariamente para excluir fraturas ósseas, não sendo adequados para evidenciar uma ruptura ligamentar. A tomografia por ressonância magnética (TRM) é adequada a esse propósito. O médico também pode diagnosticar lesões concomitantes durante esse exame.

Tratamento

Rupturas do ligamento cruzado são reparadas geralmente através de uma cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado. Isso significa que o ligamento cruzado lesado é substituído por um fragmento de tendão do próprio organismo, como o tendão semitendíneo. Visto que são necessárias dez a doze semanas para o material enxertado crescer no canal ósseo, o uso de órteses estabilizadoras é recomendado após a cirurgia. A Ottobock oferece uma seleção de produtos de alta qualidade para essa finalidade.

Nem todos os ligamentos cruzados rompidos precisam ser operados. Cada caso é decidido individualmente dependendo da idade, atividade, capacidade do paciente de praticar esportes, motivação e habilidades cotidianas do paciente. Como alternativa, a musculatura da coxa pode ser treinada para fornecer estabilidade suficiente para os movimentos cotidianos. Contudo, deve-se considerar que, no caso de uma ruptura de ligamento cruzado não tratada, é possível o surgimento precoce de danos da cartilagem (artrose). Além disso, em atletas amadores e profissionais, é possível que novos acidentes causem lesões adicionais à cartilagem e meniscos.


Abaixo, apresentamos exemplos de produtos usados na ortetização. Se um produto é realmente adequado para você ou se você terá condições de aproveitar plenamente a funcionalidade do produto dependerá de vários fatores diferentes. Sua constituição corporal, condição física e um exame médico detalhado também são fatores importantes. Seu médico ou o seu técnico ortopédico também decidirá qual a ortetização mais apropriada para você. Teremos muito prazer em apoiá-lo.


Produtos correspondentes